IAB BRASIL ENVIA CARTA AO CENP

IAB BRASIL ENVIA CARTA AO CENP

Carta enviada ao CENP

A ASSOCIAÇÃO DE MÍDIA INTERATIVA – AMI (“IAB Brasil”) conta hoje com cerca de 200 associados, incluindo anunciantes, agências, veículos de publicidade, empresas de tecnologia, consultorias e outras empresas, todos reunidos com o objetivo de fomentar a publicidade online no Brasil, respeitando a diversidade de modelos de negócio e práticas de remuneração existentes em um setor em constante transformação.

Essa diversidade de posições e modelos representa, a nosso ver, o principal valor desse ecossistema, e o IAB Brasil sempre se posicionou em favor da livre iniciativa e concorrência nesse mercado, de forma que qualquer posicionamento representando uma visão única e pretensamente homogênea não resume, a nosso ver, a publicidade online.

Logo, gostaríamos de expressar nossa preocupação com a maneira com que certas atualizações dessas regras têm sido apresentadas. Preocupa-nos que decisões importantes e com impacto para a publicidade digital estejam sendo discutidas com participação limitada desse mercado.

Consequentemente, expressamos aqui nosso interesse em nos retirar do CENP, deixando de ser uma entidade associada, por entendermos que, pelo fato de não termos direito a voto nas decisões do Conselho, inclusive em resoluções que podem ter impacto material no setor digital, nosso papel de defesa do setor, nessa associação, é inexistente.

Ressaltamos que esta decisão não altera em nada o nosso compromisso e dever institucional em desenvolver e promover o setor de publicidade no Brasil junto a outras instâncias, inclusive o de colaborar com o próprio CENP, sempre que solicitado, envolvendo nossos associados para contribuir com suas visões diversas sobre como fomentar e ampliar as boas práticas do setor.

O IAB Brasil continua acreditando e defendendo que o setor de publicidade deve se balizar no respeito à lei, na transparência e boa-fé das relações comerciais, na proteção dos direitos fundamentais, na livre iniciativa, na repressão de abusos de poder econômico, práticas anticoncorrenciais, na participação ampla de todos os agentes do mercado publicitário, no caráter global da publicidade moderna e no incentivo à inovação.

Permanecemos à disposição para quaisquer dúvidas ou esclarecimentos.

Atenciosamente,
ANA MOISÉS
Presidente do
Interactive Advertising Bureau Brasil