Compartilhar

Poderia o Marketing Digital ser mais vintage?

Poderia o Marketing Digital ser mais vintage?

Ter o consumidor como centro das estratégias de comunicação em geral não é algo exatamente novo. Assim como tantas outras coisas que são cíclicas, o que muitas empresas e marcas em geral declararam como principal nos últimos tempos é isso: o cliente é foco. 

Para deixar a linha de pensamento aqui ainda mais “antiga” – e fazendo um contraponto com o tanto de tecnologia e inovação que é necessário juntar para conseguir alcançar objetivos ambiciosos como os que temos hoje –, tenho aqui no meu home office a famosa frase do Leonardo da Vinci: “Simplicidade é o último grau de sofisticação”. E o quanto a gente pode se perder da veracidade que uma declaração como essa carrega quando estamos fazendo planejamento de estratégias de marketing digital? Talvez seja pelo tanto que estamos imersos em redes sociais, reuniões rápidas, reuniões longas, reuniões que poderiam ser um e-mail. A proposta aqui é ajudar todos que estiverem dispostos a dedicar um tempinho para ler esse artigo e refletir sobre o quanto os esforços dedicados no seu dia a dia estão mesmo focados naquele cara, o cliente. 

É claro que traçar caminhos e muitas vezes recalcular o percurso é necessário. Quanto mais pessoas envolvidas nesse processo, maior o “risco” de tornar um planejamento estratégico complexo – e a tecnologia mais uma vez ajuda a maioria das empresas com times ágeis e profissionais cuja principal função é ser esse guia para o time, tudo em prol do objetivo inicial. 

Mas quando o assunto é o cliente, no fim do dia, é tudo sobre pessoas! Como elas se comportam na internet e por que se comportam dessa maneira? A maioria dos negócios hoje de fato não tem como voltar no tempo, tratar cada um de seus clientes de maneira individual e contar só com a indicação da vizinhança pra conseguir escalar resultados. Mas e se a gente pudesse digitalizar esse racional e dedicar um pouco mais de tempo para chegar no coração dos clientes?

Entender como eles se comportam na internet é um ótimo (e necessário) primeiro passo. Quantas vezes você já não se pegou indo pelo caminho errado por não ter dados necessários ou por não saber analisá-los da maneira correta? Por mais que os profissionais de marketing digital saibam o quanto os dados são poderosos, é impressionante o quanto ainda nos baseamos em instinto e presunções quando o assunto é planejar e executar planos de marketing “focados no cliente”. 

Então convido você, independente do lado da mesa que trabalha (para o cliente ou para o fornecedor), a refletir durante aquele intervalo necessário, sobre o quanto as atividades que você faz no dia a dia estão levando você ao caminho que traçou no início do ano. Já estamos passando da metade de 2022, e como seria produtivo começar a organizar o que for preciso para as importantes datas comerciais que estão para chegar nos próximos meses?

Se sua empresa fosse um espaço físico, a pessoa que a visita iria encontrar as mesmas coisas sempre? Se sua comunicação fosse uma conversa, estaria usando as palavras e meios certos? O quanto você e seu time já conhecem seus consumidores? Quem você gostaria de chamar de cliente?

Desculpem por tantos clichês em um só texto, mas quem somos nós para contrariar Da Vinci? 

A distância dos escritórios e dos post-its pode ter feito com que a gente tenha esquecido sobre a importância dos brainstormings, das conversas com tempo entre o time para que todos possam escutar uns aos outros. E em uma tentativa de voltar um pouco no tempo, perceber que pequenas e eficientes melhorias no dia a dia e nos planejamentos de curto prazo também tem grande valor para o resultado. 

Não vamos nos confundir: simples é diferente de fácil! Traçar novos objetivos e simplificar os caminhos pode exigir várias pessoas, times, novas dailys, mas quando uma equipe trabalha junto para um objetivo em comum de verdade, os resultados fluem e as coisas mais simples passam a ter um novo significado, elas trazem resultados reais! 

Conheça o comportamento das pessoas que passam pelo site da sua empresa, entenda como as mudanças que você implementa muda esse comportamento, registre resultados, compare os números… Pequenas ações parecem óbvias, mas nem sempre os olhares estão sob essas importantes informações.

Autor(a): Ariadne Cercal, Coordenadora de Negócios Navegg